Notícias

A Lei Maria da Penha completa 13 anos,porém assassinatos de mulheres crescem assustadoramente

As histórias de várias  sobreviventes da violência doméstica podem se juntar a milhares de outras, mas muitas só podem ser contadas por quem ficou com a saudade.

Casos e mais casos absurdos de mortes e tentativas de assassinatos de mulheres tem se tornado uma realidade cruel no Brasil e no mundo. O que falar  de homens que, além de suas companheiras, também se vingam nos próprios filhos e chegam as vias de fato, e cometem crimes estarrecedores?

Homens inconformados com fins de relacionamentos matam pelo simples de não aceitarem que a mulher não quer mais viver aquela vida ao seu lado. Como justificar essas reações? cicatrizes no corpo de uma mulher, no interior do Piauí? Foram as respostas do ex-marido, porque ela também queria ir embora.

As histórias de várias  sobreviventes da violência doméstica podem se juntar a milhares de outras, mas muitas só podem ser contadas por quem ficou com a saudade.

Em 13 anos da lei Maria da Penha, o Brasil se movimenta para salvar mulheres, mas enterra cada vez mais vítimas da violência doméstica. Nos últimos três anos, o feminicídio matou 12 mil mulheres e quase 900 mil pediram medida protetiva em todo o Brasil. A medida protetiva foi criada para manter o agressor distante da vítima. Mas isso nem sempre acontece. Muitas vezes a mulher está sozinha quando o parceiro se aproxima. A função da patrulha Maria da Penha é fazer a diferença entre a vida e a morte.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar