Notícias

Acuado, Bolsonaro solta verbo contra o STF

Ele também já criou a campanha "O Brasil não pode parar", que foi proibida pelo STF por colocar a população em risco.

O governo Bolsonaro está acuado pela CPI que investiga as ações do governo federal na pandemia e que é controlada por parlamentares críticos ao presidente.

Nesta quarta, Teich criticou a prescrição de hidroxicloroquina a doentes da Covid e disse que deixou o ministério em 2020 por falta de autonomia e por divergir com Bolsonaro sobre o uso da substância -o mandatário é um entusiasta do medicamento e de outras drogas sem eficácia para o vírus.

Um dia antes, o também ex-titular da Saúde Luiz Henrique Mandetta apontou à CPI que Bolsonaro contrariou orientações do Ministério da Saúde baseadas na ciência para o combate à pandemia.

Os depoimentos de Teich e Mandetta, porém, não levaram o presidente a moderar seu discurso. Pelo contrário, em seu pronunciamento no Planalto nesta quarta, ele chamou de “canalhas” aqueles que são contrários ao chamado tratamento precoce, que é baseado no uso da hidroxicloroquina.

“Canalha é aquele que é contra o tratamento precoce e não apresenta alternativa, esse é um canalha”, afirmou o presidente.

Há meses Bolsonaro se mantém em conflito com o Supremo em relação às medidas tomadas em meio à pandemia. Desde o início da crise, o STF tem imposto derrotas ao presidente, que, em declarações, testa os limites da corte.

Um dos casos recentes ocorreu em abril passado quando o ministro Luís Roberto Barroso mandou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), instalar a CPI. A decisão foi uma derrota para a base aliada de Bolsonaro no Congresso, que vinha tentando barrar a comissão para investigar a condução da pandemia.

Em meio às derrotas, Bolsonaro repete a ameaça de “baixar um decreto” para que a população volte ao trabalho. Recentemente, ele disse que poderia determinar ao Exército que fosse às ruas para garantir o funcionamento de atividades econômicas, mesmo contra normas estaduais e locais.

Ele também já criou a campanha “O Brasil não pode parar”, que foi proibida pelo STF por colocar a população em risco.

Tags

Artigos relacionados

1 pensou em “Acuado, Bolsonaro solta verbo contra o STF”

  1. Acuado quem tá é a sociedade, supremo sem moral para nada e querendo mandar no país ,fora os políticos vagabundos e ladrões todos soltos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar