Notícias

BNDES retoma mais dois contratos com empresas da Lava Jato

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) anunciou nesta quinta (16) a retomada de dois contratos para exportação de serviços por empresas investigadas pela Operação Lava Jato, que foram suspensos em maio de 2016.

Nesta quinta, foram retomados contratos da Andrade Gutierrez e da Queiroz Galvão em Gana e na República Dominicana. Em janeiro, o banco já havia liberado um contrato da Queiroz Galvão em Honduras.

O contrato da Andrade Gutierrez em Gana refere-se à construção de um corredor rodoviário, no valor de US$ 202,1 milhões. A fatia do BNDES corresponde a 70% do total e, até o momento, o banco já desembolsou US$ 65,3 milhões.

Já o contrato da Andrade Gutierrez contempla o Projeto de Desenvolvimento Agrícola Azua II – Pueblo Viejo, no valor de US$ 72 milhões. O banco financia 73% do valor e já desembolsou US$ 13,7 bilhões.

A suspensão dos projetos de exportação de empresas relacionadas à Lava Jato foi definida pela gestão Maria Silvia Bastos Marques com base em ação da AGU (Advocacia Geral da União) contra as empresas.

Ao todo, foram suspensos 25 contratos de financiamento, no valor total de US$ 7 bilhões -dos quais US$ 2,3 bilhões já haviam sido desembolsados na época.

O BNDES explicou que faria uma análise de cada projeto, considerando o avanço físico das obras, a existência de outras fontes de financiamento e a exposição do banco ao risco.

Além disso, exige que construtoras e governos contratantes assinem termo de governança, no qual se comprometem a aplicar os recursos emprestados nos projetos.

Agora, há 21 contratos de exportação de serviços suspensos, informou o banco. Uma quarta operação, da OAS, foi cancelada pelo governo da Argentina, que decidiu concluir as obras com financiamento local.

Folhapress

@lingua

 

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar