Notícias

Crise reduz editais para disputar vaga no serviço público, mas há inscrições abertas

Resultado de imagem para CRise

A vida de quem busca uma vaga no funcionalismo público continua incerta. A suspensão de concursos pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e pelo Ministério da Fazenda em 2015 continua em vigor. No entanto, a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017, publicada neste mês, prevê (mas não garante) o preenchimento ou a criação de 21.973 cargos nos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário até dezembro. Segundo a assessoria do Planejamento, as vagas se referem a concursos em andamento ou que já foram autorizados.

As discussões sobre a reforma previdenciária fizeram com que muitos servidores pedissem aposentadoria no final do ano passado, gerando déficit de funcionários no serviço público.

Os problemas econômicos do Brasil geraram algumas mudanças na disputa por um cargo. A diminuição de postos de trabalho na iniciativa privada fez com que as pessoas migrassem para o serviço público. Mas como não foram abertas mais vagas, houve um recuo daqueles que pensam de forma mais imediata e deixam para estudar quando um edital é lançado.

Com a pouca oferta de vagas, muitos concurseiros podem se perder na hora de definir o cargo em que desejam ser aprovados. Mas uma dica importante para ir bem nos estudos é justamente direcionar os esforços para editais parecidos, mesmo que não estejam abertos.

Dar o primeiro passo não é tarefa fácil. Cada vaga exige uma formação. Há cargo administrativo (nível médio ou superior em qualquer área); cargo jurídico, para quem tem formação em direito; ou cargo especializado, para formados em farmácia, enfermaria, comunicação, TI, engenharia, etc. Tenha em mente qual cargo deseja para focar os estudos.
Quando um órgão contrata a banca organizadora para a prova, significa que um novo concurso está perto. Por isso, acompanhar as licitações faz parte do processo.

@lingua

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar