Justiça

Falso juiz é preso com um arsenal

A polícia não soube informar se o suspeito atuava como falso magistrado em outras situações.

Um falso juiz foi preso no início da noite desta terça-feira (22) com dez pistolas 9 mm escondidas em um compartimento secreto no porta-malas de um carro. A prisão ocorreu por volta das 19h no km 425 da rodovia Miguel Jubran, na região de Tarumã (446 km de SP).

 

Segundo informações da 3ª CIA Rodoviária, que efetuou a prisão em uma ação conjunta com a Polícia Federal, o homem, de 56 anos, apresentou uma carteirinha de juiz aposentado ao ser abordado por agentes da Polícia Rodoviária estadual e pela Polícia Rodoviária Federal.

De acordo com a polícia, o suspeito, que é um técnico judiciário aposentado, demonstrou nervosismo durante a abordagem. Na revista de seu carro, um Toyota Corolla com placa de Dois Córregos, cidade da região, os policiais encontraram o armamento escondido.

Segundo a Polícia Federal, as dez pistolas semiautomáticas são da marca Canik, provavelmente produzidas na Turquia. Havia ainda dois carregadores para cada arma.

Segundo apurações da polícia, inicialmente o homem disse que as armas, compradas no Paraguai, seriam levadas para Dois Córregos. Mas depois teria dito que o destino era o Rio de Janeiro.

A prisão, de acordo com a PF, ocorreu após investigações da operação Redentor, realizada no Rio.

A polícia não soube informar se o suspeito atuava como falso magistrado em outras situações.

Ele foi preso em flagrante por uso de documento falso, tráfico internacional de armas e contravenção penal. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, ele foi encaminhado a cadeia pública de Lutécia (470 km de SP). O caso foi registrado na unidade da Polícia Federal de Marília (435 km de SP).

O nome do suspeito, assim como o de sua defesa, não foi informado pelas polícias estadual e federal.

A Comissão de Segurança Pessoal e Defesa das Prerrogativas dos Magistrados do TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo) afirmou que teve conhecimento da prisão.

O Tribunal de Justiça paulista disse que vai apurar o uso de carteira falsa de juiz pelo homem preso no interior do estado.

Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar