Notícias

Fernando Bezerra nunca será Nilo Coelho.Osvaldo Coelho, o ocaso do respeito ao cidadão Petrolinense

 

Petrolina, é a maior cidade do sertão pernambucano.No município tudo remete à família que tem  uma das oligarquias políticas mais longevas do Nordeste,  a família  Coelho. Se não, vejamos: O parque leva o nome de  Josefa Coelho, em Petrolina existe também o bairro  Gercino Coelho, uma escola que leva o nome de Clementino Coelho. O aeroporto foi batizado de Senador Nilo Coelho e o  estádio tem como nome  Paulo de Souza  Coelho. Isso demonstra  que a cidade reconheceu que seus lideres políticos sempre deram o melhor pela terra e,   que fizeram da cidade que  era passagem para Juazeiro da Bahia, um oásis que abrigou e abriga  diversas pessoas, de diversos lugares, de diversas nacionalidades.

Um dos nomes mais citados em prosas ,versos e discursos , é o nome de Nilo Coelho. Homem íntegro, que se tornou celebridade por seus feitos. Nilo de Sousa Coelho,  que faleceu em 9 de novembro de 1983, foi secretário da Fazenda do Estado, Governador de Pernambuco e Presidente do Senado. Na cidade todo politico quer ser igual a ele. Fernando Bezerra, Osvaldo Coelho, Geraldo Coelho, Fernando Filho, Guilherme Coelho e  Miguel Coelho, sempre dão o braço a torcer e reconhecem que ele foi e sempre será ícone de bom politico, que fazia a boa politica. Nilo governou de Petrolina para Pernambuco,por isso até o projeto de irrigação mais antigo leva seu nome. No seu nome a maior honraria da cidade é concedida. A medalha de honra Senador Nilo coelho. Por Isso todos querem ser igual a ele.

Mas, pouco a pouco, como vem acontecendo no nordeste com outros clãs, em Petrolina,  a população começa a se distanciar da família que tanto fez pela cidade. Com a morte de Osvaldo Coelho, os petrolinenses já não enxergam a família como antes. Osvaldo  Coelho, foi  o ocaso do respeito ao próximo,  do respeito ao dinheiro público,  do brio de uma família que sempre zelou pelo nome que carregava.  As canções já não falam de alegrias, falam de tristeza, pelo nome da cidade que vai revelando seu outro lado…O lado escuro das mentiras, das promessas que não se cumprem, do desemprego de  mulheres que dependiam dele pra sustentar suas casas, do desrespeito aos cidadãos.  Petrolina, virou palco de ignominia, da dor de ver seus ilustres filhos sendo vituperados em jornais, blogs, revistas e na rede social,  por que seus atos já não condizem com os cargos  públicos que lhes foram confiados…  Fernando Bezerra nunca será igual a Nilo Coelho. Petrolina perdeu a esperança.

Cadê Nilo Coelho? Osvaldo Coelho? Coronel Quelê?  Petrolina está envergonhada.

Uma banda petrolinense tem uma musica que diz:

“Criaram causa ,aumento de salário, veio consequência desabando na gente.Inflação em alta, combustível em renda, para por na maquina da previdência. Pobre como nós, morre fedendo, ricos que não são  pisando na gente…Isso não é cidadania, isso não é  cidadania…isso é mania vamos acabar com isso. Criaram colégios  e,  veio a finalidade, alunos burros, professores mal pagos, trabalho honesto é trabalho escravo. Isso tudo eu vejo em Tv , Jornal e Rádio…Isso não é cidadania, isso não é  cidadania…isso é mania vamos acabar com isso”, disse a letra da banda Cobaias.

Com a morte de Osvaldo Coelho, os petrolinenses já não enxergam a família como antes. Osvaldo  Coelho, foi  o ocaso do respeito ao próximo.

Por Cauby  Fernandes

@lingua

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar