Notícias

Fruticultura cresce com melaço da cana-de-açúcar

Produto extraído da cana-de-açúcar está sendo aplicado nas lavouras do Vale do São Francisco, com aumento da produtividade

Um trabalho de campo tem aumentado a produtividade nas lavouras de frutas na região do Vale do São Francisco. A utilização do melaço da cana-de-açúcar, que é lançado no solo das produções, tem dado um resultado de crescimento na produtividade entre 12% e 15%. E para o produtor, o retorno também representa uma economia em torno de quatro vezes menor em comparação com o uso de outros produtos. Ou seja, o produtor tem um gasto quatro vezes menor para produzir mais.

O melaço é aplicado no solo das produções de manga, mas, sobretudo, de uva. De acordo com o engenheiro agrônomo e consultor agrícola, Pedro Ximenes, a iniciativa apresenta benefícios para os produtores. “A utilização mostra que está dando resultado. A iniciativa foi feita porque cada vez mais os produtores procuram dar prioridade a produtos orgânicos e produtos de baixo custo. O melaço tem baixo custo e é acessível em qualquer região”, disse Ximenes, ao acrescentar que outros materiais como ureia e nitrato de cálcio como adubo para o campo são mais caros.

E os estudiosos agrícolas têm observado um uso cada vez maior do melaço. “Há uns cinco anos, alguns produtores vêm testando o uso do melaço, mas agora está sendo utilizado com mais força. Há dois anos chegava um caminhão com o produto para a região do Vale, hoje já chegam quatro caminhões”, informou Ximenes. Ainda segundo ele, o trabalho, por enquanto, é de campo. Ou seja, não houve pesquisa científica. “Conversei com uma professora de uma universidade estadual da Bahia e ela informou que há benefícios para as plantas também”, complementou.

Na safra de cinco meses da uva, por exemplo, são utilizadas cinco aplicações do melaço. A quantidade da aplicação varia de cinco a dez litros por hectare. “O melaço facilita que a planta absorva mais facilmente nutrientes do solo. A sacarose, substância do melaço, é o alimento para os microrganismos e estimula o desenvolvimento microbiano do solo”, explicou Ximenes.

De acordo com a Agrovale, empresa da Bahia fornecedora do melaço em larga escala para o Vale do São Francisco, a utilização do produto expande ainda mais os horizontes da fruticultura. “Os produtores só têm a ganhar com o aumento da produtividade e a qualidade das plantas e dos frutos, ampliando ainda mais o bom conceito que tem as frutas do Vale do São Francisco no Brasil e no mundo”, enfatizou o diretor vice-presidente da Agrovale, Denisson Flores, ao acrescentar que o melaço é uma mistura de sacarose e sais minerais, a exemplo de potássio, cálcio e fósforo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar