Notícias

Jornalismo é criatividade, coragem e compromisso com causas coletivas

Jornalismo é criatividade, perspicácia, coragem e comprometimento – com a função, com seu público, com uma causa. Jornalismo não deve ser apenas fonte de renda sem nenhum retorno à sociedade. Todo veículo deve ter uma bandeira e assumi-la, não camufla-la. Jornalismo deve ter, além do compromisso com a informação, funções sociais e econômicas a serviço da coletividade. Em síntese: deve ser transparente, comprometida.
Só não vale o Ctrl C + Ctrl V. Necessário se faz que, ao menos, o release seja lido com atenção, corrigido, caso seja necessário, suas informações checadas e dado a ele um novo texto. Que se dê a ele, também, aquela regra de início (lead), meio e fim. Quantos releases não são gerados na forma que eu chamo de texto “Frankenstein” (a cabeça nos pés, os pés na cabeça, o meio no fim e por ai vai). Numa nova redação, evita-se que o veículo assuma afirmações de assessorados ou de outras pessoas constantes no texto. Por exemplo: “O governador fulano de tal está envidando todos os esforços para reorganizar a educação no Estado”, diz o texto do assessor de imprensa. Ele deve ficar assim, se se não pode checar in loco se é isto que está acontecendo: “Conforme a Assessoria do Governo do Estado, o governador Fulano de tal está envidando todos os esforços para reorganizar a educação no Estado”.

Nos tempos de hoje em que fica cada vez mais difícil manter equipe de externa em busca da informação, de belas reportagens, tem-se a compensação dos recursos tecnológicos da comunicação telefônica, redes sociais, internet e as assessorias de comunicação das instituições públicas e privadas. Usando esses meios e plataformas, sobre uma cadeira, diante de um computador conectado a grande rede e de um telefone, pode-se produzir belas matérias  e estas até parecerem que foram feitas em campo.

Mas o que tem se visto em veículos impressos, sites, blogs, rádios e TVs é a transcrição ipsis litteris de releases. Além do interesse único de faturar verbas públicas de publicidade, concorrendo injustamente com veículos sérios.

@lingua

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar