Notícias

Médicos de Petrolina devem retornar imediatamente ao trabalho por decisão do TJPE

Resultado de imagem para médicosescravos

 Rafael Machado da Cunha Cavalcanti,o desembargador, vê a paralisação como “ prejuízo à população, já que o serviço público da medicina, é  indispensável e essencial para saúde pública. O desembargador, diz que  o movimento “coloca em risco a integridade física e a vida do cidadão, podendo causar perdas irreversíveis”.

O movimento de paralisação teve início na última terça-feira (25). A prefeitura concedeu reajuste salarial de 6.29% – aceito por todas as categorias, exceto pelos médicos. No entanto em  relação à estrutura das unidades, nada do que foi prometido pela gestão Novo tempo, teve inicio, e os novos reparos  não apareceram.

Por Cauby Fernandes

@lingua

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar