Notícias

O Brasil registrou pela primeira vez mais de 1.000 vítimas da covid-19, a maior contagem diária de casos em todo o mundo ontem. O cenário pode influenciar as negociações da bolsa brasileira, que, aliás, segue aberta mesmo em meio ao feriado decretado às pressas em São Paulo. A Língua destaca ainda a reabertura de Miami, um superciclone na Índia e o Dia dos Namorados chinês. Boa leitura.

 

1 – LOCKDOWN BRASIL AFORA

O coronavírus segue avançando no mundo, e nas estatísticas. O número de casos confirmados chegou a 5 milhões nesta madrugada. O Brasil também caminha para superar nesta quinta-feira, 21, a marca dos 300.000 casos e 20.000 mortes. Foram 291.579 casos e 19.951 mortes ontem, segundo o Ministério da Saúde, e 888 novas mortes registradas. Cidades vêm ampliando seu isolamento social. O Ceará anunciou ontem manutenção do lockdown em Fortaleza até 31 de maio. Recife, em Pernambuco, que adotou lockdown em 16 de maio, segue com o bloqueio até o fim do mês. O Amapá foi nesta semana o primeiro a decretar lockdown em todo o estado. Já os primeiros estados a implementar lockdown nas capitais, no começo de maio, traçam planos de flexibilização: São Luís, no Maranhão, volta gradualmente na semana que vem e o lockdown no Pará, que termina neste domingo, não será prorrogado. Em São Paulo, começou ontem o “megaferiado” adiantado na capital, que pode virar de seis dias a depender de votação na Assembleia Legislativa nesta tarde. O governador João Doria disse ontem que “seremos obrigados a adotar o lockdown” se “os índices crescerem mais” mesmo com o feriado.

2 – BOLSONARO E GOVERNADORES

O presidente Jair Bolsonaro e os 27 governadores se reúnem (por videoconferência) às 10 horas, dois meses depois do último encontro entre eles, que terminou com bate-boca entre o presidente e o governador de São Paulo, João Doria. Na pauta, está a sanção do projeto de socorro emergencial aos estados e municípios, de 60 bilhões de reais. O projeto foi aprovado no Senado em 6 de maio, mas ainda não teve a sanção presidencial. O prazo acaba no dia 27. Um ponto precisa de consenso: a equipe econômica quer vetar possibilidade de reajuste dos salários dos servidores até 2021. Governadores também anunciaram que também vão cobrar de Bolsonaro a necessidade de critérios científicos para a adoção de medidas de enfrentamento da pandemia – ontem, o governo implementou um protocolo de uso da cloroquina, que não havia andado na gestão dos dois últimos ministros da Saúde, ambos médicos. Depois da reunião, haverá uma entrevista coletiva em São Paulo em que Doria vai divulgar o resultado do encontro com Bolsonaro. O governador disse ontem que levará ao presidente uma mensagem de “paz, harmonia e entendimento”.

3 – RESULTADOS DA COGNA

Maior empresa de educação do país, a Cogna (ex-Kroton) divulga resultados do primeiro trimestre nesta quinta-feira, 21. A estimativa do mercado é de queda nas matrículas, em especial nos cursos presenciais, mais caros. A estimativa do banco BTG Pactual, publicada em relatório no início de maio, é de redução de 18% na receita vinda do ensino superior, puxada por uma queda de 11% na base de alunos presenciais e redução do Fies, programa de financiamento do governo. A redução é compensada em parte pela alta de 7% no segmento de ensino à distância. Uma boa notícia para a empresa é o ensino básico, que deve crescer 16%. Em um período de incertezas, a Cogna se esforça para reforçar o caixa. A companhia aprovou essa semana a emissão de 500 milhões de reais em debêntures, com prazo de três anos. Segundo o BTG, as oportunidades para as empresas do setor listadas na bolsa continuam no longo prazo. Dentre elas estão a consolidação do mercado, o crescimento do ensino à distância e as oportunidades no ensino básico. Passado o tsunami do coronavírus, a companhia pode aproveitar o caixa reforçado e ir às compras.

 

4 – O FUTURO DA CHINA

Na noite desta quinta-feira, 21, quase 3.000 delegados do Partido Comunista chinês são esperados na capital Pequim para o maior evento político do país, o Congresso Nacional do Povo. O encontro, inicialmente previsto para fevereiro, precisou ser adiado em função da crise do coronavírus. Desde o início do ano, foram registrados mais de 84.000 casos da covid-19 na China. Xi Jinping praticamente desapareceu da cena pública todos esses meses. Agora, com a doença controlada na China, ele volta aos palcos. Para a retomada da economia, analistas internacionais acreditam que o país deverá ampliar a abertura do mercado financeiro e os investimentos em urbanização. As projeções econômicas registram algum sinal de recuperação. Em abril, o setor industrial chinês cresceu 3,9% diante de um declínio de 1,1% em março. Mesmo com esses sinais positivos, a expectativa de crescimento do PIB para este ano não deverá passar muito de 2%. Falta saber qual deverá ser o tamanho do pacote de estímulo fiscal destinado à recuperação econômica.

5 – MENTE VAZIA, BOLSOS CHEIOS?

Em meio à crise da pandemia do coronavírus, causa de ansiedade para boa parte da população, comemora-se hoje o Dia Mundial da Meditação. Criada em 2017 pelo terapeuta Will Williams, a data será oficialmente celebrada em duas práticas guiadas, transmitidas na página World Meditation Day 2020 do Facebook e em centenas de lives ao redor do mundo. A prática é milenar, mas vem ganhando força nas últimas décadas nas sociedades ocidentais – e se tornou um mercado bilionário disputado por aplicativos de celular. O Headspace registrou um crescimento de 13 vezes entre fevereiro e março no número de pessoas que completaram a prática na modalidade “Stressed”. Nos Estados Unidos, foi aberto gratuitamente a quem perdeu o emprego e, caso raro em se tratando de um aplicativo, acaba de lançar um comercial de 30 segundos na TV. No ano passado, seu principal concorrente, o Calm, com mais de 50 milhões de downloads, havia recebido um financiamento de 88 milhões de dólares. Com o aporte, atingiu um valor de mercado de 1 bilhão de dólares, tornando-se o primeiro unicórnio de uma empresa focada, literalmente, em meditação.

O Ministério da Educação anunciou que vai adiar o Enem, marcado para novembro, por 30 ou 60 dias.

Desde o início da pandemia, o Walmart contratou 235.000 novos funcionários para dar conta do aumento da demanda.

A Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), que representa empresas produtoras de refrigerantes locais, as chamadas tubaínas, repudiou a piada do presidente Jair Bolsonaro sobre o setor. “Foi um comentário de mau gosto, é o tipo de brincadeira que não cabe”, disse o presidente da entidade.

A Lojas Havan, conhecida por eletrodomésticos e itens para a casa, começou a vender alimentos. “Queremos ser o Carrefour”, disse Luciano Hang.

Na Suzano, o remédio para o dólar volátil e perda de 13,4 bilhões de reais inclui uma conta no Twitter. A companhia pretende investir em transparência na comunicação, diz o diretor Marcelo Bacci – que criou, ele próprio, uma conta na rede social depois da reação do mercado ao último balanço da empresa.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar