Notícias

O Palácio Diocesano ? E a Estação Ferroviária, por que ninguém fala? Cadê os políticos de Petrolina?

Resultado de imagem para estação ferroviaria de Petrolina

A estação de Petrolina, de interesse histórico, foi aberta em 1923, como estação inicial do primeiro trecho que a ligava à estação de Rajada, em Pernambuco. A ligação com Juazeiro era por barcos.  Em 1965, os trens da VFFLB passaram a cruzar a então novíssima ponte sobre o rio São Francisco, vindos de Juazeiro, e, parando na estação, seguiam pela primeira vez direto para Paulistana, no Piauí. Em 1972,  os trens cruzavam a ponte para terminar a viagem na estação de Petrolina. Isto seguiu até o ano de 1977.

Estão fazendo um barulho tão grande, que chega a assustar, sobre a venda do terreno no entorno do Palácio Diocesano e, muitos fizeram disso uma bandeira a ser defendida com unhas e dentes. Políticos estão debatendo, comissões estão sendo feitas, enfim, mexeram com a cidade.

Mas , rebuscando na memória, pude encontrar fatos interessantes sobre Patrimônios culturais  que a cidade possui, que foram vendidos, e que ninguém (políticos princialmente) fez esse  estardalhaço, e pelo contrário, se calaram.

A estação Ferroviária,é um desses casos.  Se foi vendida, cedida ou arrendada  , não sabemos. O que sabemos,  é que é um prédio histórico, que deveria ser museu ou outro equipamento de cultura, que deveria ser usado pelo povo, e isso não acontece. Aquele prédio foi transformado em velório particular de uma empresa forte, que não é petrolinense, mas ninguém falou nada.  Cadê os vereadores defensores? Sumiram, tem medo receio da repercussão?

Querem fazer Lobby com o Palácio Diocesano? Por que não entram em verdadeira luta pelo patrimonio histórico, começando pela antiga Estação Ferroviária? Por que não lutam por isso? Cadê as comissões em defesa da história?

Cadê?Cadê? Vereadores, cadê vocês? Deputados Lucas Ramos, Odacy Amorim, Guilherme Coelho, Gonzaga Patriota…Cadê vocês? Vocês vão ou não defender a história de Petrolina?

Por Cauby Fernandes

@lingua

 

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar