Notícias

Os riscos em filmar crimes, assaltos e atropelamentos. Amadores tem perdido a vida. Cuidado!

Com um celular nas mãos, muitos se atrevem e acabam se dando muito mal.

As redes sociais tem atraído diversas pessoas a se posicionarem como cinegrafistas ou  repórteres ao presenciar um acontecimento marcante. Porém, a falta de profissionalismo pode levar a desfechos complicados e as vezes até a morte.

Um desses exemplos aconteceu  no ataque a agências bancárias no centro de Araçatuba que deixou três mortos e levou pânico à cidade do interior paulista na madrugada desta segunda-feira, 30.

Araçatuba: homem filmava fuga dos criminosos quando foi mortoDe acordo com o capitão Alexandre Guedes, do comando da Polícia Militar paulista, uma das vítimas fatais é um morador da cidade. Ele havia deixado a mulher no trabalho e voltou para a região central, onde ficam as agências, para filmar a ação dos criminosos. Ele foi morto a tiros pelos bandidos.

Com um celular nas mãos, muitos amadores se atrevem e acabam se dando muito mal e as vezes perdem suas vidas. Registrar imagens de acidentes é um assunto bastante polêmico e pode ter consequências bastante sérias. Você sabe se tirar fotos de acidentes pode dar cadeia?

Acidente com caminhão provoca morte de motorista na Serra da BR-153 - Notícias sobre giro marília - Giro Marília NotíciasCom certeza, ao navegar em sua rede social, você já se deparou com fotos e vídeos de acidentes, principalmente envolvendo figuras públicas. A velocidade com que as informações são transmitidas, em nossos dias, é assustadora e, muitas vezes, demonstram falta de empatia e, sobretudo, bom senso dos internautas.

Como prova, temos o exemplo dos inúmeros compartilhamentos, nas redes sociais, do acidente aéreo que causou a morte do autor da música ‘Jenifer’, Gabriel Diniz, em maio de 2019.

Assim que a notícia do desastre foi divulgada pela mídia, a publicação de imagens e vídeos do resgate do corpo do cantor encheram os feeds das redes sociais.

A exposição gerou grande revolta nos fãs de Gabriel Diniz, que solicitaram que as postagens fossem excluídas a fim de preservar, além da imagem, acima de tudo, a família do cantor.

A ação teve grande repercussão. Diversos sites na internet publicaram matérias tratando do tema e alertando os internautas que fotografar ou filmar vítimas de acidentes é crime.

Contudo, o que precisa ser esclarecido é se a ação de registrar e compartilhar fotos e vídeos de pessoas mortas é, de fato, crime. Ou se foi assim caracterizada pelo fato de a vítima ser uma pessoa famosa.

Digo isso pois é bastante comum as pessoas, diante de um acidente, registrarem a cena em seus smartphones e compartilharem as imagens com os amigos, a fim de deixá-los inteirados sobre o acontecido.

Se você acha que estamos  exagerando, pense em quantas imagens de acidentes e tragédias você já recebeu em seu WhatsApp ou, ao navegar por seu Facebook, acabou vendo e compartilhando. É importante que todos estejam cientes das consequências de compartilhar fotos e vídeos de tragédias.

Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar