NotíciasPolítica

Petrolina: gesto do vereador Gaturiano Cigano revela que a “hegemonia” política de Miguel Coelho está ameaçada

Gesto foi feito por Ronaldo Cancão em 2016

Em 2016, o vereador Ronaldo Cancão se declarou independente, sabendo que se ficasse na chapa da morte que Miguel Coelho montou, decidiu trilhar caminho diferente para sobreviver como político. O vereador, abraçou a campanha de Adalberto Cavalcanti,foi para um partido menor, e conseguiu garantir sua eleição.

Na época criticado, Ronaldo Cancão ,soube fazer a leitura correta para saltar a fogueira que, com certeza , poderia queimar seus planos de retornar à Casa Plínio Amorim. Foi correta a decisão. Passada a eleição, e tendo o mandato como escudo, o vereador abraçou mais uma vez, o grupo de Fernando Bezerra, que agora, na cidade é comandado pelo prefeito.

Agora, 2019, outro vereador parece que vai seguir o mesmo caminho de Cancão e já declarou independência. Gaturiano Cigano, está fazendo o mesmo gesto.  O vereador está saindo do PRP que se tornará Patriotas e, procura uma nova sigla.  O Edil com certeza não entrará em um chapão da morte, evitando assim, colocar em risco o seu mandato, que bem encaminhado como está, pode se perder em eventuais chapas designadas pelo prefeito de Petrolina.

Outros vereadores também, já estão preparados para a debandada e, ao que parece, essa é uma tônica forte que  vai quebrar a “hegemonia ” do grupo político que hoje é sustentado pela gestão municipal em um  governo denominado “Novo tempo”.

Nomes como Wenderson Batista, que vem balizado pelo pai, Zé Batista da Gama, Ibamar Fernandes,Osinaldo Sousa, Ronaldo Souza,Elias Jardim, Manoel da Acosap e Major Enfermeiro, podem percorrer caminhos diferentes daquele que será indicado pelo prefeito de Petrolina.

A hegemonia política do grupo de Miguel Coelho está ameaçada, e essa é uma realidade que precisa ser acompanhada de perto. Vai ser lasqueira essa campanha em 2020.

 

Artigos relacionados

2 pensamentos “Petrolina: gesto do vereador Gaturiano Cigano revela que a “hegemonia” política de Miguel Coelho está ameaçada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar