NotíciasPolítica

Petrolina: Miguel Coelho encontra Raul Henry.Faltam 12 meses para Simão Durando, vice-prefeito, assumir a prefeitura de Petrolina

Talvez, o grande desafio do grupo de Fernando Bezerra Coelho vai ser montar o palanque do presidente Jair Bolsonaro em Pernambuco, considerando a condição de FBC de líder do governo, num cenário de sensível desgaste do gestor em função do trato que tem dado à pandemia.  Vale lembrar que tanto Raul Henry, como também o senador Jarbas Vasconcelos, nos seus últimos pronunciamentos foram críticos e duros quando o assunto é  atuação do presidente.

Miguel Coelho, prefeito de Petrolina, tem compromisso marcado para a tarde de hoje na sede do MDB com   o presidente estadual do partido, o deputado federal Raul Henry. Rumores indicam que o bate-papo entre os dois vai girar em torno do ano vindouro onde serão disputadas as eleições para governador.

Tudo indica que Miguel Coelho articula para colocar seu nome  à disposição para concorrer ao Governo do Estado. Ao tratar do tema, Miguel tem associado a hipótese ao projeto de recondução do seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, ao Senado numa sinalização de que a legenda já teria uma chapa majoritária encaminhada. Em Petrolina, a população já se prepara para uma nova gestão. Existem os desconfiados e os confiantes quanto a essa troca. Será que será bom para a cidade ter um novo prefeito em tão pouco tempo?Vale ressaltar que se confirmado o nome de Miguel Coelho para disputar as eleições em 22,o prefeito  terá que renunciar o cargo no mês abril do ano que vem. Tic, tac… Faltam 12 meses para Simão Durando, vice-prefeito, assumir a prefeitura de Petrolina

“O partido já tem essa condição de chapa. Tanto pela questão da recondução do senador Fernando, como também poder voltar a ser, de fato, protagonista em Pernambuco, liderando um projeto majoritário a governador”, disse Miguel. Tal construção carrega no bojo alguns desafios. Um deles seria atrair apoios, concentrando dois nomes do MDB na mesma chapa que, nesse caso citado por Miguel, seriam ele e o pai.

Talvez, o grande desafio do grupo de Fernando Bezerra Coelho vai ser montar o palanque para o presidente Jair Bolsonaro em Pernambuco, considerando a condição de FBC de líder do governo, num cenário de sensível desgaste do gestor em função do trato que tem dado à pandemia.  Vale lembrar que tanto Raul Henry, como também o senador Jarbas Vasconcelos, nos seus últimos pronunciamentos foram críticos e duros quando o assunto é  atuação do presidente.

Henry que é autor de um pedido de CPI para investigar a situação de Manaus e chegou a apontar “negligência criminosa” do Governo Federal. Ele  é o mais crítico. Fazer com o que o deputado suba no palanque ao lado de Bolsonaro, demandará grande esforço por parte do líder do senado. O MDB, hoje, integra a Frente Popular, liderada pelo PSB, que vem fazendo acenos ao ex-presidente Lula, variável citada por socialistas como determinante para inviabilizar uma recomposição dos Coelho com a Frente Popular, como já se ventilou.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar