Notícias

Petrolina: PSL de Petrolina em Instabilidade. O Coronel Leite, pode ficar no partido apenas este ano

Tudo dependerá do caminho a ser seguido por Miguel Coelho. Caso o prefeito se filie ao partido, uma rasteira no militar pode estar a caminho

Casos de partidos que foram tomados de presidentes que estavam no comando de uma sigla é uma constante na política pernambucana. Em Petrolina diversos relatos negativos de presidentes de siglas são contados em que o fulano de tal era presidente na segunda-feira, e logo na terça-feira, outro nome era noticiado como novo comandante.

São inúmeros casos. Principalmente se o partido é bom, tem um tempo de televisão extenso, e pode ser o diferencial em qualquer eleição.  É o caso do partido, antes nanico, mas que se tornou um gigante. Estamos falando do PSL. O partido é hoje um dos maiores no País, e figura entre as siglas mais fortes em qualquer Estado brasileiro. O presidente Jair Bolsonaro ao aceitar o convite do presidente nacional do partido, Luciano Bivar/PE, trouxe consigo um número assustador de filiações em todo Brasil.

Em Petrolina,a mesma onda de filiações, fez o partido crescer absurdamente.Por essas bandas, dois vereadores foram eleitos, Gabriel Menezes e Domingos de Cristália. Até meados do ano, quem estava à frente do partido era  vereador Gabriel Menezes. Em chegando o mês de agosto, o PSL, fez renovações na sua diretoria, e atualmente, o Coronel Heitor Leite, é quem está à frente da sigla no município.

Segundo informações e a pedido do presidente Jair Bolsonaro, o partido na maior cidade do sertão, precisava ser comandado por um militar. Por conhecer o trabalho de Heitor Leite, o presidente do partido, Luciano Bivar, não titubeou e convidou o militar, que de pronto, aceitou o desafio.

No entanto, grandes políticos na cidade, já estão de olho na sigla, e ele pode , em 2020, ser tomado. Por ter maturidade, o Coronel Leite e presidente do PSL em Petrolina, em recente entrevista disse que isso é possível acontecer, e se de fato se concretizar, quem está incomodado vai se retirar.

Resultado de imagem para rasteira briga gifComo já escrevemos, casos de partidos que foram tomados de presidentes que estavam no comando de uma sigla é uma constante na política pernambucana. Em Petrolina diversos relatos negativos de presidentes de siglas são contados em que o fulano de tal, era presidente na segunda-feira, e logo na terça-feira, outro nome era noticiado como novo comandante. Em Petrolina,tudo dependerá do caminho a ser seguido por Miguel Coelho. Caso o prefeito se filie ao partido, uma rasteira no militar pode estar a caminho. Será que rifarão o Coronel? Quem sabe! Tudo acontece na Terra dos Impossíveis.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar