NotíciasPolítica

Petrolina: quando uma cidade desconfia do seu prefeito

Desconfiança

Sem fazer muito, Miguel Coelho vai completar dois anos de gestão. Sem emplacar uma marca própria, e vivendo à sombra de Julio Lossio. Em quase 24 meses, a única conversa que se ouviu dos assessores, de cargos comissionados, de secretários e sub-secretários, foi: A culpa é da antiga gestão.

Com esse discurso, uma única marca , e negativa, é a da DESCONFIANÇA. A arrogância de achar que é bom só por que tem um sobrenome, não sobrepuja a falta de experiencia que é visível no gestor. A escolha de assessores fracos nas suas respectivas pastas, os arrumadinhos na Câmara de vereadores para empregar os “PARÇAS” e a falta de uma boa  equipe de comunicação, atestam que a gestão Novo tempo vai de mal a pior.

Fique sabendo:

Viaduto não sai;

Saúde não melhora;

Concursos são paleativos;

Nova semente não terá novas unidades  e outras fecharão;

Dia 21 de setembro será uma vitrine para dizer que tudo está bem.

Sem fazer muito, Miguel Coelho vai completar dois anos de gestão. Sem emplacar uma marca própria, e vivendo à sombra de Julio Lossio. Em quase 24 meses, a única conversa que se ouviu dos assessores, de cargos comissionados, de secretários e sub-secretários, foi: A culpa é da antiga gestão.

 

 

Artigos relacionados

2 pensamentos “Petrolina: quando uma cidade desconfia do seu prefeito”

  1. Acho que tudo vai bem. Basta olhar a opulência dos que gravitam ao redor do príncipe M. Pick-ups do ano. Terrenos, apartamentos, casas, putas bem vestidas ( desculpem o termo), viagens para o exterior, etc…
    Tá todo mundo bem. Muito bem!!!!
    Agora a cidade econômico é outro detalhe…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar