Notícias

Petrolinenses agradecem a Fernandinho pelo aumento do preço do botijão de gás. Só que não

Os petrolinenses querem agradecer ao Ministro de Minas e Energia Fernando Filho, por mais um aumento e rombo no bolso do povo brasileiro,  já  que a Petrobras anunciou, nesta terça-feira (10), o reajuste de 12,9% no preço do botijão de gás de até 13 kg a partir de hoje (11), devido à variação das cotações do produto no mercado internacional.

Caro ministro, caso o reajuste seja integralmente repassado pelas distribuidoras e revendedoras ,  dificilmente deixa de ser jogado para o comprador e o preço ao consumidor final pode subir em média 5,1%, ou cerca de R$ 3,09 por botijão, estimou a Petrobras. Já o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) calcula que o reajuste oscilará entre 7,8% e 15,4%, de acordo com o polo de suprimento.

Este é o quarto aumento concedido em apenas dois meses pelo “amigo” ministro. Em junho, a Petrobras mudou a política de preços para o produto, que passou a ser reajustado com mais frequência. Desde agosto passado, já houve altas de 6,9%, 12,2% e 6,9%. O acumulado, nesses dois meses, já alcança 44,76%.

O preço médio do botijão de 13 kg pago pelo consumidor no país era de R$ 62,21 na última semana, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Para economizar o gás de cozinha e, com ele, também dinheiro, especialistas dizem que é importante observar se a chama está sempre azul, evitar vazamentos nos bicos do fogão, tampar as panelas para cozinhar mais depressa e sempre usar panelas de acordo com o tamanho da boca do fogão. Panela pequena em boca grande é desperdício.

Para quem não sabe, o ministro Fernando Filho é quem comanda a pasta do  Ministério de Minas e Energia,  tem como empresas vinculadas a Eletrobras e a Petrobras.  A Eletrobras controla as empresas Furnas Centrais Elétricas S.A.Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte), Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (Eletrosul) e Eletrobrás Termonuclear S/A (Eletronuclear).

Entre as autarquias vinculadas ao Ministério estão as Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).

“Nós sofre, mais nós gosta! Só que não! Aonde vamos parar?”

Por Cauby Fernandes

@língua

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar