CotidianoNotícias

Servidores desmotivados e obra de reforma da biblioteca municipal parada. Cristina Costa preocupada

Um prédio aberto, mas sem acesso ao público. O acervo de livros está coberto de poeira. O cenário da biblioteca Municipal Cid Carvalho entristece qualquer petrolinense. O prédio foi fechado em junho de 2016 para reforma. A última gestão alugou o prédio da Diocese ao lado da Emissora Rural e transferiu parte dos livros e o atendimento ao público.

O funcionamento provisório no local se estendeu até abril deste ano, quando a igreja católica pediu o prédio de volta para colocar ali, a cúria diocesana. A biblioteca provisória mais uma vez mudou de lugar. Foi para o primeiro andar da Emissora Rural, em três salas do prédio.
A biblioteca ficou totalmente descaracterizado e sem a funcionalidade adequada aos frequentadores. Por exemplo,a sala de estudos é compartilhada com a equipe de jornalismo da rádio, assim como a cantina.

Quinze servidores municipais estão locados na biblioteca. Trabalham em regime de escala, mas o turno da noite não está aberto porque como o prédio é privado, servidores municipais não podem fazer a segurança.
Nessa situação, quem precisa da biblioteca para estudos e pesquisas perdeu quase que completamente o espaço que é de responsabilidade da secretaria de cultura, turismo e esportes do município.

Preocupação da vereadora Cristina Costa

A vereadora Cristina Costa do PT, esteve na Emissora Rural onde está a biblioteca – sem acervo – e conversou com os servidores. Desmotivados porque passam o dia sem ter o que fazer, eles temem não voltar ao prédio original da biblioteca pública pela demora na reforma (dois anos), e pelas especulações divulgadas na imprensa de que o poder executivo pode ter outros projetos para o lugar. Essa é uma preocupação real, e merece ser investigada.

Depois de se reunir com os servidores nas salas alugadas da Emissora Rural, Cristina Costa procurou o secretário de cultura, Emício Junior. O secretário explicou que o projeto de reforma da Biblioteca Cid Carvalho inclui troca de piso, ampliação da capacidade elétrica do prédio e climatização. O orçamento é de 250 mil reais e a primeira tomada de preços aconteceu nesta quarta-feira (18), sem nenhum interesse de empresas de construção civil. Nova publicação do processo foi feita, e mais uma tomada de preços está marcada para o dia 07 de agosto. O secretário se sensibilizou com a situação dos servidores da biblioteca e ficou de analisar a possibilidade de encontrar um outro local para o funcionamento do equipamento público.

“Outro pleito que levei ao secretário foi a inclusão no edital do concurso público a ser realizado pelo município, de bibliotecários. O município não tem mais esse funcionário e quem desempenha as funções são professores que estão fora da sala de aula e auxiliares de serviços gerais lotados na biblioteca. Isso é desvio de função. Declarou Cristina Costa.

O secretário de cultura explicou a vereadora que a reforma da Biblioteca não vai demorar e que o prédio poderá ser reaberto ao público ainda esse ano. Será?

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar