Política

Simepe , sindicato subserviente à Coelho, agora quer gritar alto com Simão Durando depois da saída de Miguel Coelho da prefeitura

Por que não gritou antes?

Para quem não sabe, no dia 19 de maio, o SIMEPE, deu um grito de alerta e fez uma paralisação de advertencia para à  prefeitura de Petrolina. Porém, essa paralisação para muitos é suspeita  pelo testemunho fraco do sindicato. A verdade é que durante os últimos 6 anos o Sindicato dos Médicos de Petrolina manteve silêncio absoluto sobre pautas de reivindicação da classe, bem como, sobre as condições de trabalho e falta de insumos nas unidades de saúde.

Porém, ao que parece, a covardia deu lugar à ousadia! Bastou Miguel Coelho deixar a prefeitura e Simão Durando assumir a cadeira  de prefeito para que  o Sindicato criasse voz altiva  e pusesse  na mesa as suas  pautas que estavam engasgadas na garganta dos médicos, que só  agora, vociferam como donos da verdade. Isso é bem conveniente.

Porém, nos deixa com a língua coçando, e diversas perguntas merecem resposta do sindicato. Uma delas é:  que houve nos últimos 6 anos ? Por que não se expôs,  e levantou a bandeira da defesa da classe?  Medo do poder da família Coelho ?

Ao que parece, nesses 6 últimos anos que esteve mudo ou calado, ficou a impressão que o SIMEPE era subserviente  ao poder estabelecido. Era isso mesmo?

Para muitos médicos, o sindicato se tornou “ignomínia”, lugar de vergonha.

E agora, gritando, trazendo suas pautas só por quê o prefeito não é poderoso, fica confirmado esse tipo de  atitude pequena de um Sindicato que era para defender a classe, mas que preferiu passar  6 anos de bico fechado. VERGONHA, nada mais que isso.

Veja a publicação do Sindicato no dia 19 de maio:

Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar