Notícias

Tarifa de transporte público de Petrolina deverá sofrer reajuste depois das eleições 2020

Indo de encontro ao pensamento e ações do então prefeito Fernando Bezerra Coelho, seu pai, que em 2000 se colocou contrário ao monopólio do transporte coletivo no município, o atual gestor instituiu o monopólio agora em Petrolina.

 

Os problemas do transporte público de Petrolina vêm a galope. Depois da derrocada da empresa Joalina, com quase 60 anos de atuação, o prefeito de Petrolina em breve terá que reinventar um discurso sobre a tarifa do município. Terá que desdizer sobre a própria promessa de reduzir o valor da tarifa, que deverá ter reajuste.

Sem concorrência a empresa que ganhou a licitação para operar em 100% de todo o território local vai repassar para o usuário o valor estipulado sem dar direito a quem paga contestar. Após muitos imbróglios no processo licitatório, a empresa Atlântico Transportes Ltda, que apresentou inconsistência e indícios de fraudes nos documentos apresentados para o certame, venceu a licitação com a promessa de baixar o valor da tarifa, porém deverá anunciar um reajuste brevemente, já que os insumos para concorrer ao certame foram calculados com dados de janeiro de 2018 sem apresentar atualização das despesas trabalhistas e de combustível, por exemplo, o que deve resultar numa escala de médio prazo um reajuste de, no mínimo, 20% na tarifa do transporte público de Petrolina.

Indo de encontro ao pensamento e ações do então prefeito Fernando Bezerra Coelho, seu pai, que em 2000 se colocou contrário ao monopólio do transporte coletivo no município, o atual gestor instituiu o monopólio agora em Petrolina.
A notícia que deverá surpreender a população usuária do transporte público de Petrolina, que não têm outra opção a não ser pagar pelo preço cobrado, será o inevitável reajuste da tarifa, já que está previsto na licitação. A população já terá um prejuízo a partir da entrada da nova empresa (prevista para hoje, 1° de dezembro), uma vez que a tarifa média praticada é de R$ 3,30 e passará a ser R$ 3,50.

A empresa vencedora inclusive responde a uma ação popular no município de Paulo Afonso (BA) que contesta um reajuste de 20%, após uma ano operando no município, quando a promessa era reduzir. A Atlântico Transportes Ltda atua na cidade baiana desde 2016.

Atualmente é cobrada a tarifa no valor R$ 3,40 no cartão eletrônico e R$ 3,70 na catraca do ônibus em dinheiro, e R$ 1,85 do estudante. Estes valores deverão sofrer aumento que devem superar os R$ 4,00. Uma medida impopular que não deverá ser adotada antes das eleições 2020, visto que o prefeito Miguel Coelho está em campanha para reeleição.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar