Notícias

Vereador Elismar Gonçalves adoeceu, Domingos de Cristália perdeu mandato e, Júnior Gás, não deve comemorar retorno. A guerra apenas começou

Assim como aconteceu com os vereadores, Elismar Gonçalves e Domingos de Cristália, passará o resto do mandato nas idas e vindas com a justiça Eleitoral.

Apesar de ter conseguido uma liminar para retornar aos seus trabalhos na Casa Plínio Amorim, o vereador de Petrolina, Junior Gás (Avante), assim como aconteceu com os vereadores, Elismar Gonçalves e Domingos de Cristália, passará o resto do mandato nas idas e vindas com a justiça Eleitoral.

Vereador adoeceu

Talvez alguns não lembrem , mas, o vereador Elismar Gonçalves em 2013, quase perde o mandato por conta de ajustes na sua candidatura. Na época, líder governista na Casa Plínio Amorim, o vereador, finalmente pode comemorar a manutenção de seu mandato, que havia sido pedido na justiça pelo suplente Dedé da Simpatia (PSDB). Por decisão unânime, o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) deu ganho de causa a Elismar referente à Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME). Com isso, o vereador ficou ‘zerado’ em relação à justiça, já que venceu outros processos anteriores relativos a sua prestação de contas de campanha. Foram dias difíceis para o vereador que até adoeceu por conta do estresse causado pelos processos.

Perdeu o mandato

Domingos de Cristália em 2019, foi outro caso, porém, com desfecho triste. O vereador que passou quase três anos indo e voltando nos tribunais, acabou por perder o mandato, cedendo lugar a Alvorlande Cruz, seu suplente.

Nesse momento é bom Junior Gás não comemorar, até porquê, tudo pode mudar. Hoje, o vereador entrou na Casa Plínio Amorim altivo, como se já tivesse vencido a guerra. Porém, os mais experientes sabem que apenas uma batalha foi vencida.  Segundo ele, o Tribunal Regional Eleitoral em Recife concedeu liminar que determina seu retorno imediato ao cargo. A notícia foi festejada por grande parte dos colegas, que interromperam a sessão para comemorar.

Maturidade

Mais maduro e mais experiente,  o presidente da Casa, Aero Cruz (MDB), declarou que a Câmara não foi notificada oficialmente pela Justiça, portanto, não poderia permitir  que naquele momento, o vereador retomasse as funções legislativas.

Tivemos conhecimento extraoficial de que nosso colega obteve, em Recife, a liminar que dá direito a seu retorno. Mas não fomos notificados oficialmente pela Justiça. Temos que agir conforme a determinação da Justiça. E, quero aqui dizer, que logo receba a notificação, faremos o procedimento como de praxe. Para não colocarem em redes sociais que nós tomamos decisão sem ordem judicial”, disse.

 

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar