Notícias

Vereador Manoel da Acosap decepciona e vota contra os servidores de Petrolina

Resultado de imagem para escolher?Na sessão da segunda-feira(02), na Casa Plínio Amorim, o PL 022/2017, do Executivo Municipal, foi aprovado com 15 votos a 05. Apenas os vereadores Gilmar santos, Cristina Costa, Paulo Valgueiro, Domingos de Cristália e Gabriel Menezes votaram contra o Projeto de Lei que chegou com regime de urgência urgentíssima, sem a prévia avaliação dos conselhos  deliberativo e fiscal do IGEPREV.

Mesmo com o plenário da Casa Plínio Amorim lotado com  servidores do município  protestando contra a votação, os vereadores da situação não se intimidaram e não ouviram as solicitações do presidente do SINDSEMP, Walber Lins, que pedia a retirada do projeto de  pauta e adiamento da votação, visando uma maior discussão sobre os impactos causados à previdência, com essa proposta de negociação e renegociação das dívidas. Tudo em vão! O projeto foi votado e aprovado.

Imagem relacionadaO que mais estranhou,foi a posição do servidor municipal, presidente do Sindicato dos Agentes de Endemias e  vereador, Manoel da ACOSAP, que em mais um episódio de escolha , escolheu o lado forte. O do executivo.  Ora, todos sabiam que se o  o projeto não fosse retirado de pauta,  passaria e seria aprovado, o que não esperavam é que Manoel da ACOSAP, iria fortalecer mais ainda a vontade  dos que votaram a favor do projeto. Podia ter dito que não votaria e que iria se abster da votação. No entanto, seguiu o caminho das águas.  Manoel é mais um que não quer decepcionar o chefe do executivo e se faz de rogado quando o assunto é ajudar os servidores do município petrolinense. Os seus colegas de funcionalismo público esperavam mais do vereador, mas, mais uma vez se decepcionaram.

Walber Lins informou que a postura do SINDSEMP e dos conselhos, em relação a essa situação será judicial. “Primeiro vamos encaminhar uma representação ao Ministério Público. Enquanto Conselho Fiscal, e acredito que enquanto Conselho Deliberativo, também vai ser encaminhada essa representação. Segundo, vamos encaminhar essa denúncia ao próprio poder legislativo, para que o poder legislativo se manifeste ao Ministério Público, porque uma das atribuições do Legislativo é fiscalizar o Executivo. E também entrar com uma representação junto ao Ministério da Previdência, haja visto que não foi passado por nenhum dos dois conselhos a aprovação desse Projeto de Lei”, explicou, ressaltando que Previdência não é brincadeira, e que os conselhos realizam um trabalho para resguardar o futuro do servidor.

Por Cauby Fernandes

@língua

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar