Notícias

Petrolina: Miguel Coelho corta salários de professores, mas não corta de cargos comissionados. Por quê

Com um decreto avassalador, que está no Diário Oficial do Município do dia 1º de abril, Miguel Coelho, reduziu pela metade, o salário dos professores. Se o querido leitor observar, são medidas que provocam desconforto em época de crise. Mas, o que mais intriga é que o protecionismo com cargos em comissão que ganham rios de dinheiro não se pode mexer! Um absurdo! Até por que eles são a linha de frente da defesa do executivo, era por eles que o exemplo tinha que ser dado. 

Petrolina já passou graves problemas, dificuldades imensuráveis, talvez, tão gigantes como a que enfrentamos hoje com a Covid-19. Em 2004, para quem não lembra, ficamos ilhados, perdemos várias estradas que davam acesso ao município, e naquela época, ficamos muitos, sem abastecimentos de alimentos e até combustível faltou em certos estabelecimentos. Foi um pandemônio em 2004.

Famílias desabrigadas, mortes e desalentados sem saber onde iriam morar. Um caos. A Covid-19 em 2020, óbvio, atinge a saúde e a economia, já que estamos em isolamento e o comércio está fechado. Isso é sem dúvida preocupante  e também é caos imensurável.

Mas me lembro também que em épocas de crises de grandes proporções, os prefeitos de Petrolina, sempre cortavam na carne para reverter a situação. Fernando Bezerra, Odacy Amorim e até mesmo Lóssio, em épocas nebulosas, sempre começavam o tratamento pelos cargos em comissão. Baixavam salários, demitiam, exoneravam e sempre protegiam a categoria da base, os servidores de carreira.

Ao que parece, em Petrolina é novo tempo mesmo. Pois vejam : em época de Covid-19, ao invés de diminuir cargos em comissão ou promover uma redução nos salários desses cargos, o prefeito, mira justamente o servidor.

Com um decreto avassalador, que está no Diário Oficial do Município do dia 2 de abril, Miguel Coelho, reduziu pela metade, o salário dos professores. Se o querido leitor observar, são medidas que provocam desconforto em época de crise. Mas, o que mais intriga é que o protecionismo com cargos em comissão que ganham rios de dinheiro não se pode mexer! Um absurdo! Até por que eles são a linha de frente da defesa do executivo, era por eles que o exemplo tinha que ser dado.Mas como mexer? Quem vai bajular a gestão nos rádios? Professores? Nunca! Por isso ele não mexe, e assim, quem sofre são os professores, primeiros  a serem massacrados! Uma vergonha!!

Vejam o DOM de 2 de abril

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar